Exames

Neurossonografia fetal: É um exame avançado e detalhado do cérebro fetal. Normalmente é um exame feito via transvaginal, depende muito da posição fetal.

Ultrassonografia Morfológica de 1º trimestre: Seu principal objetivo é o rastreamento de anomalias genéticas. O exame pode ser realizado entre 11ª e 14ª semanas, preferencialmente entre 12ª e 13ª semanas de gestação e inclui o estudo da anatomia fetal, a medida da translucência nucal, a avaliação da presença do osso nasal e do fluxo de sangue através do ducto venoso. A sensibilidade para detecção da sindrome de down é de aproximadamente 90%. Com o recente avanço dos equipamentos de ultrassonografia, aproximadamente 60% das malformações fetais podem ser detectadas nesta fase.

– Ultrassonografia morfológica do primeiro trimestre + perfil bioquímico materno: A avaliação conjunta do ultrassom morfológico do primeiro trimestre com o perfil bioquímico materno tem como objetivo melhorar a sensibilidade na detecção de anomalias genéticas. No caso da síndrome de Down, essa sensibilidade é elevada de 90% para 95%. O perfil bioquímico materno consiste na análise de dois exames colhidos no sangue da mãe: a proteína plasmática A, associada à gestação (PAPP-A), e a fração livre do BetaHCG (freeBetaHCG).

– Ultrassonografia obstétrica: Seu objetivo é avaliar o crescimento do feto a partir do seu peso. Dispomos de um software capaz de traçar um gráfico para acompanhamento do crescimento fetal, avaliando cada um dos parâmetros medidos isoladamente ao longo de toda a gestação. Este exame é realizado em qualquer época da gestação e inclui algumas medidas do feto, avaliação da placenta e da quantidade de líquido amniótico. É um recurso particularmente importante quando o crescimento fetal está comprometido, pois permite pesquisar as possíveis causas de restrição do crescimento.

Ultrassonografia tridimensional (3D) e em tempo real (4D) E 5D Avançado: Fornece detalhes para caracterização de anomalias fetais e permite um melhor entendimento do exame de ultrassonografia pelos pais. O ultrassom 4D utiliza um recurso técnico que permite associar o movimento à imagem tridimensional (3D); ou seja, o 3D seria uma foto e o 4D, um filme. Esse recurso costuma ser utilizado em todos os nossos exames a partir da 10ª e até a 32ª / 34ª semana de gestação. O ultrassom 3D deve ser realizado idealmente entre 28ª e 32ª semanas de gestação, para melhor visualização da face fetal.

Ressaltamos que, dependendo da posição do feto e da quantidade de líquido amniótico, a foto da face fetal (o “rostinho do bebê”) pode não ser obtida.

Ultrassonografia morfológica do segundo trimestre: O exame é realizado a partir de 18 semanas de gestação (idealmente entre 22ª e 24ª semanas) e inclui o estudo detalhado da anatomia, do crescimento e de marcadores de risco fetal (características da anatomia fetal que indicam maior risco de o bebê ser portador de anomalia genética). Nesta fase, é possível identificar aproximadamente 80% das anormalidades fetais.

Em conjunto com este ultra-som, podem ser realizadas as seguintes avaliações:

  • Avaliação do comprimento do colo uterino: Identifica mulheres com maior risco de trabalho de parto prematuro extremo (menos de 32ª semanas de gestação) por meio da medida do comprimento do colo do útero, por via transvaginal. É realizado entre 22ª e 24ª semanas de gestação em conjunto com o ultrassom morfológico.
  • Dopplervelocimetria das artérias uterinas: Identifica mulheres com maior risco de desenvolver hipertensão arterial ou restrição do crescimento fetal por meio da medida do fluxo de sangue que passa pelas artérias que irrigam o útero/placenta. Este exame é habitualmente realizado pelo abdome da mãe. A mensuração do comprimento do colo do útero pode ser iniciada pela via transvaginal.

Dopplervelocimetria obstétrica: Avalia a vitalidade fetal por meio da análise do fluxo de sangue nas artérias uterinas, umbilicais, cerebral média e ducto venoso (quando necessário). Em fetos cujo crescimento está comprometido, o exame ajuda a estabelecer o melhor momento para a interrupção da gestação. Esse exame pode ser realizado durante toda a gestação.

Perfil biofísico fetal: Também avalia a vitalidade fetal. O exame é realizado a partir de 28ª semanas de gestação e inclui o estudo do líquido amniótico, movimentos fetais, tônus, movimentos respiratórios e cardiotocografia (monitoração fetal).

Ecocardiografia Fetal: Avalia as câmaras cardíacas, os grandes vasos da base e toda alteração estrutural e funcional do coração fetal. É indicado de rotina para todas as gestantes, pois 90% das malformações cardíacas-fetais são de gestações de baixo risco.

Também realizamos:

Ultrassonografia Transvaginal Ginecológica;

Ultrassonografia Pélvica Ginecológica;

Ultrassonografia de Mamas e Axilas;

Dopplerfluxometria Mamária;

Dopplerfluxometria Ginecológica;

Dopplerfluxometria Pélvica;

Pesquisa de DNA Fetal em Sangue Materno;

Coleta de Células Tronco;

Cardiotocografia;

Pesquisa de paternidade antes do nascimento do bebê;

– Ultrassonografia de Tireóide;

– Controle de Ovulação com contagem automática de folículos;

– Ultrassonografia de Abdome Total;

– Ultrassonografia de Vias Urinárias;

– Ultrassonografia de Abdome Superior;

– Ultrassonografia de Abdome Inferior;

– Mapeamento de Endometriose.

fetal-foundation